sábado, junho 30, 2007

Voltando às Coisas da Noite...

Duo Barros Reis (Leonardo e Horácio)



Pedrinho Sergipano


Diego Bruno



Wellington Mendes



João Carlos





Logo quando criei o meu blog, iniciei uma série de posts intitulada Coisas da Noite, na qual contava um pouco das alegrias e desventuras por que passava, nas minhas apresentações pelos bares e festas particulares. Volto, agora, à série, para mais um relato.

Como já devem saber, venho cantando, desde novembro de 2004, no Aconchego da Zuzu. Lá, tenho o prazer de ser acompanhada pelo pandeiro esperto de Pedrinho Sergipano, pelo violão impecável de Horácio Barros Reis e por alguns outros excelentes instrumentistas que, eventualmente, vêm se juntar à nossa formação.

Como acontece em quase todos os cantos do Brasil, salvo algumas exceções, as pessoas não têm o mínimo respeito pela música ao vivo. Consideram que ir a um bar ou restaurante apenas signifique comer, beber e conversar com os amigos (no tom de voz que bem lhes aprouver). Tudo bem... É cultural. Tudo bem... Mas, é de uma pobreza de espírito sem tamanho!

Como se já não bastasse esse fato infeliz e imutável, outra coisa vem me incomodando bastante. Temos, radicado aqui em Salvador, um excelente instrumentista, concertista de renome internacional. O seu violão clássico é mesmo um dos melhores. Para nossa sorte, ele já esteve algumas vezes lá na Zuzu e nos deu o prazer de uma super canja. Até aí tudo bem. Maravilha. Mas, o que me incomoda é o fato de que a audiência, antes uma verdadeira turba, cala-se ao som do primeiro acorde produzido pelo dito concertista. O silêncio é feito. E, se uma mosca ousar zumbir será bombardeada por uma rajada de xiiiiiiiiiii!

Ora, então somente o renomado instrumentista merece tal tratamento? Não entendo e não aceito isso. Os meus meninos (como carinhosamente costumo me referir aos meus músicos) são tão bons quanto. O Pedrinho parece ter um metrônomo nas mãos, de tão seguro que ele é do andamento do seu pandeiro. Não se perde nunca. Horácio, no seu violão versátil, é capaz de tocar ou acompanhar qualquer gênero, qualquer ritmo, em qualquer tonalidade. Sem falar que também é gente grande do clássico ao popular. E, falando dos que eventualmente lá aparecem como Diego Bruno (um guitarrista dos melhores, dono de uma capacidade de improviso sem igual), João Carlos (e o seu acordeon apaixonante), Leonardo Barros Reis (outro violão de respeito), Wellington Mendes (um trompetista de primeira) e tantos outros, nada deixam a desejar.

Dá pra entender?


quinta-feira, junho 28, 2007

Aos pedaços


Pintura sobre T-Shirt



É assim que continuo a enxergar o meu Brasil... Aos pedacinhos.
Quanta vergonha! Quanta tristeza! Quanta safadeza! Quanta impunidade!
As minhas esperanças todas estão pautadas na
Teoria do Caos. Já chegamos ao topo do inimaginável. Agora, é só ver ressurgir outro país.
É somente o que nos resta.

terça-feira, junho 26, 2007

O sorriso da lua


A foto-poema é do meu Zé




O azul é a morada da lua

O pássaro voa pra lua

A lua sorri para o pássaro

O pássaro brinca no azul

E eu fico só a olhar...
Com vontade de ser um
pássaro azul e morar na lua

segunda-feira, junho 25, 2007

Na janela

A foto é de autoria do meu Zé




Agora é época de inverno, por aqui. De vez em quando faz um friozinho, mas passa logo. É gostoso dormir ouvindo o barulhinho da chuva. É bom pra ficar a ler, a assistir a um filme, a namorar (isso, quando o amor está pertinho).


domingo, junho 24, 2007

Pêndulos




As fotos são de autoria do meu Zé




O que sente quando olha para cenas assim ?
Qual a primeira palavra que lhe vem à mente?


sexta-feira, junho 22, 2007

Há um lugar...


A foto-poema é do meu Zé



Onde, quando lá estive pela primeira vez, tive a estranha sensação de já ter estado antes...
Montevideo

Onde não tenho nenhuma vontade de ir...
Estados Unidos

Onde quero voltar...
Campos do Jordão - São Paulo

Onde me sinto à vontade, como se minha cidade fosse...
Lisboa

Onde ainda hei de visitar...
India

Muito, mas muito especial pra mim... A minha Cidade de São Salvador da Bahia


E pra vocês, como é que é?



quinta-feira, junho 21, 2007

Livros são janelas que se abrem diante dos nossos olhos

A fotopoema é do meu Zé




O meu amigo Zé, Viajante do Transatlântico, solicitou-me uma relação dos livros que mais me marcaram. Obrigada pelo convite, querido amigo. Aqui vai a minha lista, com aqueles mais vivos na lembrança:


A Paixão segundo GH - Clarice Lispector

A maçã no escuro - Clarice Lispector
A Mãe - Anton Chekov
O Nome da Rosa - Umberto Eco
Cem Anos de Solidão - Gabriel Garcia Marquéz
Encontro Marcado - Fernando Sabino
Faz escuro, mas eu canto - Thiago de Mello
Fernão Capelo Gaivota - Richard Bach
Memórias de Adriano - Marguerite Duras
O Pequeno Príncipe (não sou nem nunca fui Miss, mas li)
O Processo - Kafka
A insustentável leveza do ser - Milan Kundera
O Perfume - Patrick Süskind

Obras Completas - Fernando Pessoa
Flicts - Ziraldo
Os Sertões - Euclides da Cunha
As reinações de Narizinho - Monteiro Lobato
Grande Sertão: Veredas - Guimarães Rosa
Espelho Mágico - Mário Quintana
A Rua dos Cataventos - Mário Quintana
O Aprendiz de Feiticeiro - Mário Quintana

Deixo pra vocês um poema do Quintana, do qual gosto imenso



Eu queria trazer-te uns versos muito lindos

Eu queria trazer-te uns versos muito lindos

colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras
seriam as mais simples do mundo,
porém não sei que luz as iluminaria
que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas,
como essa que acende inesperadas cores
nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas
do lado de fora do papel... Não sei, eu nunca soube o que dizer-te
e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento
da Poesia...
Como
uma pobre lanterna que incendiou!



quarta-feira, junho 20, 2007

A AMIZADE


Foto da net

A M I G O

“É aquele que entende seu desejo de voar, de sumir devagar, a angústia pela compreensão dos acontecimentos, a sede pelo "por vir". É, ao mesmo tempo, espelho que te reflete, e óleo derramado sobre suas águas agitadas. É quem fica enfurecido por enxergar seu erro, querer tanto o seu bem e saber que a perfeição é utopia. É o sol que seca suas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais seu sorriso. Amigo é aquele que te diz "eu te amo" sem qualquer medo de má interpretação: Amigo é quem te ama "e ponto". É verdade e razão, sonho e sentimento. Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista.”


Marcelo Batalha -20/10/96




O Moinante, um dos meus mais recentes amigos aqui na blogosfera, me ofereceu como presente esse símbolo da amizade (criado por ele e pela sua filhota, para todos os amigos). Nem preciso dizer o quanto fiquei feliz e o quanto me senti honrada. É muito bom fazer bons amigos. É a coleção mais preciosa que se pode ter nessa vida.
Repasso a todos a quem prezo e aos que me querem bem. Basta copiar a figura (acima à direita) e colar no lado esquerdo do peito.

Muitos Beijos

terça-feira, junho 19, 2007

(In)Constância

















Os poemas em foto são do meu Zé


Mudar de hábitos - Mudar de direção - Mudar de ventos ­- Mudar de lugar – Mudar a fechadura - Mudar de governo – Mudar de marido – Mudar de namorado - Mudar de estado – Mudar de humor - Mudar de costumes - Mudar a visão de mundo - Mudar de idéia - Mudar de aspecto – Mudar de comportamento - Mudar de nome - Mudar de partido – Mudar de personalidade – Mudar de idade - Mudar de estilo - Mudar de rumo - Mudar de tendência - Mudar de sexo - Mudar de perfume - Mudar de escola - Mudar de vida – Mudar de lado - Mudar o mundo - Mudar a guerra - Mudar de endereço - Mudar de conversa - Mudar a sorte – Mudar com a lua - Mudar com o tempo - Mudar de vez – Mudar de cor – Mudar o CD - Mudar o repertório – Mudar de faixa - Mudar a leitura – Mudar de temperatura - Mudar de clima - Mudar de restaurante - Mudar de gosto – Mudar de roupa – Mudar de escola – Mudar de amor – Mudar o penteado – Mudar de sonho – Mudar o desejo - Mudar de estratégia – Mudar de assunto - Mudar de temperamento – Mudar de página – Mudar as estações – Mudar os anos – Mudar os meses – Mudar os dias – Mudar as horas.... Mudar.... Mudar.... Mudar.... Mudar.... Mudar.... Mudar.... Mudar.... Mudar....


A mudança é mesmo a coisa mais constante nas nossas vidas

Historinha da Fantasia de Luxo

Imagem da net



A moça queria muito ser bela, queria ser muito inteligente, queria saber falar todas as línguas, queria ter todos (digo mesmo, todos) os homens aos seus pés, queria ser tratada como rainha, queria ter sempre a última palavra, queria ter sempre razão, queria que as mulheres ao seu redor se sentissem inferiores a ela, queria sempre ser o centro das atenções, queria exclusividade em tudo e de toda gente, queria ser arrasadoramente e irresistivelmente sexy, queria ter sempre atendidos seus pedidos-ordens, queria ser o animal mais interessante da floresta, queria ser um carro último modelo e super-ultra veloz, queria ser um avião, queria ser o céu e o oceano, queria ser a música mais bonita, queria ser o perfume mais raro, queria ser a flor mais exuberante.... Um dia, um mago veio ao seu encontro e, cansado de tanto escutar os infindáveis “eu queria ser assim, eu queria ser aquela, eu queria ser aquilo” resolveu atender às suas súplicas. Então: ratimplimdimcaracrachá !
E no minuto seguinte transformou-a no EGO.





“Quem conta um conto, aumenta um ponto”
“Quem gostou dessa história, que me conte outra”

segunda-feira, junho 18, 2007

Nem tudo que reluz é ouro 18

Foto retirada da net

Ela acordou quase uma hora antes do despertador e de tão ansiosa nem tomou o pequeno almoço. Era o seu primeiro dia no novo emprego. Vestiu-se sobriamente, maquiou-se levemente e saiu voando.
Já instalada em sua mesa de trabalho, ficou a pensar o que faria para personalizar o ambiente, deixar ali a sua marca... Colocar, talvez, um anjinho em cima do móvel de arquivos, ou, quem sabe, uma plantinha em cima do aparador, ou até.... Mas, eis que o telefone toca.

- Escritório do Dr. Assis, bom dia!
- Bom dia, querida! Está bem instalada? A sala é boa pra você? Alguma coisa está te faltando? Diga tudo, não me esconda NADA!
- Ah... Desculpe, mas quem é mesmo que está falando, por favor?
- Vai dizer que não sabe? Tolinha!
- O senhor me desculpe, mas é que.......
- Minha querida, deve estar cheia de coisas pra fazer, eu ligo mais tarde então. Uma bitoquinha!
- Mas...

E a ligação foi encerrada.
Ela ficou parada, sem reação, por alguns bons segundos. Deus do céu! Quem teria sido aquela figura? Certamente tinha telefonado pra um número errado, sim, era isso, apenas um engano de números. E se pôs a conhecer o ambiente, a organizar uns papéis, a fazer o café... E é quando o telefone toca, outra vez. Ela fica ali a olhar para o aparelho, com a tímida esperança de que não fosse o mesmo sujeito... Mas era sim.

- Escritó...
- Sou eu, florzinha! O seu querido. Estava morrendo de saudade, tava, não tava?
- Meu senhor, por favor, não vê que está a ligar pra um número errado? Não nos conhecemos...
- Hummm... Adoro quando me chama de “meu senhor”.... Adoro!
- Ai, que eu já estou a perder a paciência!!!
-Perde, perde sim, perde o juízo também, perde o pudor, perde TUDO!!!!!
- Senhor, eu vou desligar!

E desliga na cara do cidadão.
Mal desligou, o danado chamou outra vez. Ela olhou pra um lado, olhou pro outro e num único movimento desconectou o fio do telefone. Pronto! Agora, por um bom tempo, o maluco ia ficar de molho e ia desistir dela. Pensou.

Recobrando a calma, lembrou que o patrão lhe tinha pedido para checar a caixa de e-mails. Foi até o computador, sentou-se, respirou fundo e pensou que agora iria, realmente, iniciar as atividades do escritório. A caixa de entrada não estava cheia. Ao abrir o último mail da lista, qual não foi a sua surpresa? Era pra ela. E era dele. Assinava como Antonio.
E escrevia como nunca tinham escrito pra ela.
Eram palavras tão lindas, era quase uma poesia. Chegou a perder-se em devaneios quando despertou com o som da sua própria voz: mas que raio de Antonio será esse?! (Será o Banderas,
ou o Fagundes? Olha que tanto fazia um ou outro, ela era doida neles dois mesmo!)
E foram chegando mails e mails e mais mails . Todos apaixonantes. No último, ele a convidava para jantar. Ia mandar-lhe um presente. Impressionante como ele a conhecia tão bem, sabia de tudo sobre ela. Era como se lesse os seus pensamentos.

Ao fim do dia foram mais de duzentos telefonemas e mais de quinhentas mensagens. Ela já estava apaixonada!
Faltando dez minutos para o fim do expediente, chega uma caixa enorme com uma flor e um bilhete onde dizia:
uma flor para uma flor – Quero-te assim.... Linda... Só pra mim.
E dentro da caixa um estonteante vestido vermelho e um par de sapatos forrados do mesmo tecido. Ela achou um charme! Afinal, era a sua cor preferida.
O encontro estava marcado. Ele ia ligar, quando ela já estivesse pronta, pra dizer qual seria o restaurante.... Era mesmo a noite dos sonhos dela. E ela nem tencionava acordar.

Pronto. Chegou a hora. Apagou as luzes da sala, trancou a porta e saiu em disparada até o elevador. Já tinha se trocado e como lhe caía bem o vermelho... Modéstia à parte (pensou).
Chegou à garagem, entrou no carro, deu a partida. Assim que saiu do prédio, começou a cair a maior chuva. Pelo rádio do carro ouvia as recomendações para que não se saísse de casa, pois caía um verdadeiro dilúvio. E era mesmo assim. O limpador de pára-brisa não dava vencimento. Nada se podia enxergar. Só lhe restou estacionar e ficar a olhar o mundo cair sobre a sua cabeça, em forma de temporal.
De repente, toca o telemóvel. O coração dela disparou. Seria ele?

- Antonio, é você?
- Não, não. Mas ele pediu pra te dizer que o dia dele já passou e que não vai poder te encontrar. Quem fala aqui é o Pedro.

Então, tudo se fez claro.... Chovia aos borbotões... O dia era 29 de junho e quem lhe falava era Pedro, o pai de todos os aguaceiros...


"Quem conta um conto, aumenta um ponto”
“Quem gostou dessa história, que me conte outra”

domingo, junho 17, 2007

Cupidos com Tomates





















Duas grandes amigas me deram de presente indicações. A Alice, com o Destaque Cupido Fonte de Amor e a Maria, com o Prêmio Blogs com Tomates. Fico muito honrada e emocionada pela lembrança e pelo carinho das duas. Sempre me sinto numa enorme saia-justa quando tenho que selecionar no meio de tantos blogs incríveis e as pessoas maravilhosas por trás deles. Mas, tem de ser. Os meus indicados estão livres para dar continuidade nas duas categorias, em uma só delas ou até mesmo para nem brincar. Fica a critério de cada um.
Faço questão de deixar bem claro que adoro cada blog, mesmo aqueles nos quais não sou assídua. Daí a minha escolha ser tão difícil e penosa.
Grande beijo aos que estão na lista e um forte abraço aos que não fazem parte dela, mas fazem do meu coração, sempre.
Devolvo a:

sábado, junho 16, 2007

F O G O




Jeitos
Iguais
Naturais
Encaixes perfeitos
Amores bem feitos
Membros
Retas
Curvas
Peitos
Leitos carnais




Fogo de Xangô - Acrílica sobre tela

sexta-feira, junho 15, 2007

O brilho de uma estrela


Quando a lua
Vem esconder
A claridade
A estrela
Brilha
Em mensagens
Indecifráveis.
A estrela
É a força
Em luz
É o conforto
Do afago frágil
De uma criança
A estrela é
I A N


Palavras que escrevi para o meu filho IAN (que nasceu e virou estrela), em outubro de 1978

quinta-feira, junho 14, 2007

Retalhos...Pedaços...Partes...



Partes de dois
Pedaços imensos
Retalhos colados
Vitrais transparentes
Numa vida em mosaico



Pintura sobre T-Shirt de algodão

quarta-feira, junho 13, 2007

Dois momentos


(Em setembro de 2006)


Hoje quero compor uma letra
Que somente fale do amor
Que não chegou a acontecer

Quero cantar uma música
Como quem chora uma perda
Como quem chora o amor
Que só eu sonhei acontecer

E amanhã, dormirei a noite inteira


(Sou eu escrevendo pra mim mesma. Esse é o meu jeito de exorcizar o que não pode mais habitar dentro de mim)







Hoje quero compor uma letra
Que somente fale do amor
Que demorou a acontecer

Quero cantar essa música
Como quem chora de contente
Como quem ganha de presente
Esse amor tão lindo de viver

E amanhã, acordarei em teus braços, do sono de quem ama.

(Sou eu escrevendo pra nós dois. Esse é o meu jeito de gritar pro mundo o quanto me faz bem habitar em ti e saber-te em mim)






Os dois momentos em fotos são do meu Zé

terça-feira, junho 12, 2007

Feliz dia dos namorados















































Se eu pudesse viajar nas horas
Dormiria o tempo do esperar
Se eu pudesse viajar nas horas
Acordava no tempo do encontrar




Palavras pro meu amor

segunda-feira, junho 11, 2007

O mundo é grande



O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.

Carlos Drummond de Andrade


A foto-poema é do meu Zé

domingo, junho 10, 2007

Dádiva

Hoje, o que tem de melhor para oferecer ?
Hoje, o que gostaria de receber ?





Pequeno panô de parede, pintado por mim

sexta-feira, junho 08, 2007

Monumentos e uma Poesia de Clarice

Um criado pela mão do homem e outro pela mãe natureza

Mais uma foto-poema do meu Zé





Precisão


O que me tranquiliza é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.

Clarice Lispector

quarta-feira, junho 06, 2007

A flor brasileirinha




As fotos são poemas do meu Zé
Sugestão: "Aquarela do Brasil" de Ary Barroso (versão de João Gilberto)
Brasil, meu Brasil brasileiro
Meu mulato izoneiro,
Vou cantar-te nos meus versos
O Brasil, samba que dá
Bamboleio, que faz gingar
O Brasil do meu amor, terra de Nosso Senhor
Oh, Abre a cortina do passado, tira a mãe preta do serrado
Bota o rei Congo no congado
Deixa cantar de novo o trovador
À merencória luz da lua
Toda a canção do seu amor
Quero ver essa dona caminhando
Pelos salões arrastando o seu vestido rendado
Oh, esse coqueiro que dá côco
É onde amarro a minha rede, nas noites claras de luar
Ah, ouve essas fontes murmurantes
Onde eu mato a minha sede
E onde a lua vem brincar
Ah, esse Brasil lindo e trigueiro
É o meu Brasil brasileiro
Terra de samba e pandeiro

Brasil, terra boa e gostosa
Da morena sestrosa, de olhar indiferente
O Brasil, samba que dá
Para o mundo se admirar
O Brasil do meu amor
Terra de Nosso Senhor
Brasil, pra mim, pra mim, Brasil

terça-feira, junho 05, 2007

"Dia de luz, festa de sol, e o barquinho a deslizar no macio azul do mar..."


"O Barquinho" é uma música de Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli
A foto-poema é do meu Zé

segunda-feira, junho 04, 2007

Hoje é um daqueles dias muito especiais!

Em janeiro marcamos encontro na nossa nuvem e hoje repetiremos o feito. Vamos comemorar




Depois, logo mais à noitinha, nos juntaremos à lua e refaremos as juras tantas desse nosso amar

Feliz dia de hoje!
Bem sabes tudo de bom que te desejo
Um beijo, daqueles
As lindas fotos-poemas são do meu Zé

domingo, junho 03, 2007

Futuros Amantes



Da janela do nosso apartamento, no 235º andar, observo o tráfego intenso dos aerojets e as mais variadas propagandas nos telões, nas torres dos prédios. É uma loucura, tamanha a profusão de imagens e sons. Qualquer semelhança com aquelas cenas de Blade Runner é mesmo intencional. Afinal, estamos em 2057.

O meu amado, sentado ao sofá, assiste a um jogo. Vou até ele, e nos abraçamos. Subitamente, sou tomada por onda nostálgica e pergunto-lhe se ainda me ama como nos primeiros anos de vida em comum. Ao que ele responde: não, fofinha, amo-te muito mais que antes.

E ficamos os dois a recordar como era difícil, rudimentar e frustrante a nossa comunicação, na altura em que nos conhecemos e vivíamos distantes, um do outro.
Lembramos o sofrimento que era apenas poder ver o outro em uma pequena janela num écran, a mercê dos humores de uma frágil tecnologia (chamada internet). Sempre sujeitos a bruscas interrupções de sinal, falhas no som e constantes congelamentos de imagem. Como era cruel amar a distância sem poder tocar e se sentir tocado!

Há coisa de poucos anos, já contamos com o conforto do Holograma e podemos ver a pessoa amada, em corpo inteiro, bem à nossa frente, com as opções (graças a programas ultra hi-tec) de sensação de toque, gustação e olfato.

Retornei das lembranças com o meu amado a me dizer: Querida, daqui a dois dias é o nosso aniversário. Tenho aqui dois bilhetes de teletransporte, válidos para a Lua, Ceres ou Juno. Onde preferes comemorar?




A foto foi retirada da (frágil) Net
Sugestão: procurem escutar a Canção “Futuros Amantes” de Chico Buarque, cantada por Gal Costa

sábado, junho 02, 2007

"Meme" avec dendê e água de côco


“Meu nome é Adenor Gondim, sou Brasileiro, Baiano, nasci em Rui Barbosa, estou vivo há 54 anos, há pelo menos uns 30, tento ser fotógrafo, por não estar preocupado em quantos tenho pela frente, vou tentar através desta coisa chamada blog
Apenas Bahia, Apenas Fotografia compartilhar com você o meu jeito de ver e sentir o povo e as coisas dessa terra chamada BAHIA”
A minha amiga Lu Pipocas e Carochas , me convidou a fazer um “meme”. Como boa baiana que sou, aproveito pra mostrar um pouco da gente, da cultura, da terra onde nasci, através das lentes desse fantástico fotógrafo.

Espero que todos que passem por aqui se animem e façam os seus “memes

sexta-feira, junho 01, 2007