sexta-feira, setembro 28, 2007

IRREVERSÍVEL

Foto colhida na NET


O que você faria se descobrisse ser portador de uma doença terminal, capaz de lhe permitir viver apenas por alguns pares de dias? (Essa pergunta é para todos que por aqui passarem)

Amaro, um certo personagem, habitante em uma certa cidade de um certo país, fez essa descoberta ao receber o resultado de uma doação ao Banco de Sangue local. À simples menção de que havia qualquer coisa fora do normal, ele foi sentindo a vista escurecer, o mundo girar e formigamentos nas pernas. Depois de tomar um café forte e sentir as forças retornando, diante de inexorável realidade, resolveu que iria aproveitar bem o pouco tempo que restava. Para ele, o que seria aproveitar bem? Sendo, desde sempre, um cara pacato, reservado, tímido, calado, quieto, quase invisível mesmo, pensou que seria bom mudar de temperamento. Nesses últimos dias de vida... Iria ser um outro Amaro.

No pacote das mudanças, no topo da lista, constava a sinceridade. De então em diante, diria o que viesse à cabeça, sobre tudo e todos. Também tinham os dias contados aquela postura subserviente de sempre, pusilânime. Aquela mania de se sentir “o último dos homens”. E sentenciou: nunca mais vou servir de chacota para os companheiros de trabalho, vizinhos e conhecidos. Sim, partiria de cabeça erguida, sem levar nenhum tipo de desaforo pra casa (ou pro túmulo, melhor dizendo).

Na manhã seguinte, logo ao colocar os pés fora de casa, disse ao vizinho que o achava insuportavelmente incomodativo e que detestava o gosto musical do camarada. Ao se dirigir para o carro, recebeu uma ligação, ao celular, da moça com quem tivera um encontro fazia alguns dias, a quem revelou que até era boazinha de cama, mas que precisava “caprichar geral” no sexo oral. Chegando ao trabalho, resolveu estacionar na vaga do seu chefe. Quando o próprio veio lhe pedir para retirar o veículo, disse-lhe, aos berros, que não saía, pois não havia ali ninguém melhor do que ele, e que ali iria permanecer.

Os ataques de sinceridade extrema foram se replicando ao longo do dia, até que recebeu uma ligação do laboratório de exames, na qual uma voz quase sumida lhe pediu imensas desculpas por um engano ocorrido na troca de resultados. Enfim, não era ele, e sim outro quem tinha para viver os seus últimos dias de vida.

Debalde. O estrago já havia sido consumado. Naquele momento, parecia que o mundo caia sobre sua cabeça. E, diante da realidade, não podia voltar a ser o velho Amaro. Muito menos o novo.

Às vezes, sinceridade em demasia pode causar efeitos irreversíveis. (Essa orientação vai para um determinado anônimo que, como o Amaro, páira entre ser tratado como invisível e entre ser alguém desagradável e pesado).



28 comentários:

Maria disse...

Uffffffa! Estou muito mais descansada....
Por aqui pairam uns quantos, poucos, mas eu gosto tanto deles que nem lhes dedico um post.
Mas vou-te dizer o que faria: reunia os amigos todos, numa boa jantarada, bebíamos uns copos à VIDA, e espera pelo último dia. Sentada, porque em pé cansa.
heheheheheheheheheh

Beijão enorme

Leticia Gabian disse...

Maroca,
Já que não posso oferecer um chá com chumbinho, nem café com estricnina, dedico um post!
Hehehehehe!

Beijão, amiga

Pitanga disse...

Este laboratório deve ter saído do núcleo de novelas da Globo onde é um tal de trocar exames que é uma barbaridade. Olha, queres saber? Manda o exame trocado pro Anônimo. heheheh

beijo Letícia.

Pitanga disse...

PS: Este "debalde" no texto está demais!

Pitanga disse...

E já agora...Salve São Cosme e São Damião que a Bahia, hoje, deve estar batendo que é uma loucura, hein?

Leticia Gabian disse...

Pitanguita,
O laboratório é do PROJAC. Pra aguentar tanta baboseira global, só mesmo se enchendo de PROZAC.
Pro anônimo, um deBALDE cheio de pensamentos irreversíveis, hihihi!

E salve São Cosme e São Damião!

viajante disse...

O Amaro teve azar. Devia ter esperado ficar bem morto para começar a ser sincero.
Bjs

Leticia Gabian disse...

Caro Viajante,
A sinceridade é uma coisa muito boa, quando não é utilizada apenas com o intuito de ferir, de causar mal estar. Quando é gratuita é ferina e deselegante.

Os vivos precisam aprender a dose certa.

Beijão

Fernanda e Poemas disse...

Olá Letícia, lindo texto.
Bom fim de semana.
Beijinhos,
Fernandinha

Leticia Gabian disse...

Olá, Fernanda!
Um bom fim de semana também pra ti, querida

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Continuo em recuperação da cirurgia que sofri, mas mais calma agora que regressei a casa após ter estado 2 semanas ausente.
Ainda me encontro um pouco atordoada, mas aos poucos vou regressando, hoje ao retornar ainda me fogem as palavras… por isso desejo apenas um bom fim de semana
••. ¸.♥ Beijos ♥ ¸.• ♥≈Nღdir≈♥

Mário Margaride disse...

Querida amiga,

Infelizmente estas coisas acontecem.

Será que algum dia mudarão, estas atitudes e comportamentos?

Veremos!

Umbom fim de semana

Beijinhos

Nil Brito disse...

Legal tudo aqui. Até a música.


abs


nil

Alice Matos disse...

Querida Letícia...

Quanto a desagradáveis anónimos... que triste ter medo de usar seu rosto para se dizer o que se pensa...

Quanto a este espaço querido que eu amo... estive a colocar as leituras em dia e sorri contigo e com os teus lindos amores...

Se tivesse pouco tempo de vida... descobri agora mesmo... aqui... contigo... quereria ser eu mesma... rir muito com a minha filha e com o meu Zé... abraçar muito a minha mãe e o meu irmão... conversar muito com os meus alunos... e deixar uma mensagem de gratidão a todos os amigos que, como tu, têm feito da minha vida um jardim mais florido...

Um beijo do tamanho do meu carinho...

Barão Van Blogh disse...

Convido-te a passar no meu humilde albergue .

"...Na água do mar sem pudor
Nu mergulhar tão lento ..."

Bom fim de semana .

O Sibarita disse...

Xiiiiiiiiiiiiiiiii... E é, minha Cumadi?

Atô, tô meu Pai! Ah não, vou colocar o nome desse anônimo na boca do sapo e costurar com barbante 100 (kkk) e depois soltar na encruzilhada para ver no que dá! kkk

Esse tá rebocado, piripicado tá mais que lenhado, se apronta com minha Cumadi, tá aprontando comigo e aí fio eu jogo duro viu? Agora é que eu quero ver! kkk

-Como? Exu das sete encruzilhada, não? -Como não fio? Agora é tarde, é com você, ele (O Exu) e as encruzilhadas de São Bartolomeu! kkkk

Minha Cumadi deixa o anônimo, ele vai ver o que é bom prá tosse, faça fé! Aiai... kkkk

Oi no site da www.sibaritawebradio.com, coloquei, uma matéria sua sobre as sextas na Zuzu. A Rádio tá tocando suas músicas, certo?

Te cuida!

bjs
O Sibarita

Pitanga disse...

Estás bem? Estás a ver O Diabo Veste Prada no tele Cine?

beijos

Mário Franco disse...

Não seria melhor que o Amaro fosse sincero desde que nasceu do que engolir sapos toda a vida esó depois os largar quando 'supostamente' sabia que ia com eles para a cova?
Afinal acabou por morrer na mesma...mas de VERGONHA!!!!

Leticia Gabian disse...

Querida nadir,
Espero que a tua recuperação seja bem rápida e que logo esteja novamente em forma. Que tenhas uma excelente semana.
Beijo grande

Leticia Gabian disse...

Amigo Mário,
O importante é que gente assim está em minoria, Graças a Deus.
Uma semana bem proveitosa pra ti, querido.
Beijo grande

Leticia Gabian disse...

Nil,
Seja bem vindo ao Som&Tom. Espero que volte mais vezes. Vou retribuir tua visita, assim que der.
Abraço

Leticia Gabian disse...

Querida Alice,
Ando sem vontade de nada. Estou com uma gripe daquelas!
Esses anônimos são dignos de pena... Mas, deixemos pra lá... Afinal, não merecem tanta atenção assim.
Reinício das aulas, não é? Muito trabalho...Imagino.
Belo jeito de aproveitar os últimos dias. Eu também faria igual.
Beijo grande, querida e que tenhas uma semana tranquila, porém bastante proveitosa

Leticia Gabian disse...

Barão,
Assim que der, passo pelo teu "humilde albergue".

Leticia Gabian disse...

Cumpadi,
O pobre do sapo nem merece ter na boca o nome do anônimo. faz isso com ele, não. Deixa que a vida ensina.
Fez uma matéria sobre a Zuzu, foi? Que máximo, Siba! Só que eu ando descaiximbada, que só eu mesmo! Pegeui uma senhora gripe! Mas, assim que me sentir melhorzinha, vou por tudo em dia e vou lá na tua rádio.Brigadão.
Beijão, cumpadi

Leticia Gabian disse...

Pitanguita,
Até vi que ia passar ontem, mas dormi feito um bebê... A gripe me pegou de jeito!
Beijão, querida

Leticia Gabian disse...

Pois é Mário,
Quando o mundo tiver menos Amaros e anônimos, será um mundo (no mínimo) mais simpático.
Beijinhos

Pitanga disse...

Ah, mas esta gripe tem nome! É o corpo gritando querida Letícia. Sei bem como é.

PS: Enquanto escrevo arde a Universidade do rapaz. O fogo atingiu o setor administrativo e informático. Até o site já saiu do ar. Imaginas como ele está?

beijos e melhoras.

Leticia Gabian disse...

Oh, amiga!
Que lástima! Mas que fogo foi esse?! Tadinho do rapaz! Imagino bem como deva estar!

E a gripe tem mesmo um nome.
Sabes bem!

Beijão querida e um abraço no Biólogo