domingo, maio 08, 2011

Um bilhete para minha mãe

 07 de Maio... Faz um ano que você partiu para o lado misterioso da vida, mãe.


Em verdade, a sua despedida teve início há uns tantos anos atrás.
A partir daquele AVC, fomos lhe perdendo devagar, aos bocadinhos.
Talvez o momento mais marcante tenha sido a primeira vez que enxergamos o vazio em seu olhar. Era a certeza de um caminho sem volta.
Algumas vezes, nos presenteava com pérolas do seu costumeiro humor (deliciosamente ácido). Eram verdadeiros oásis. Traziam uma brisa reconfortante, como se nos dissessem que ainda estava ali.


Hoje, só tenho vontade de lhe pedir desculpas pela minha falta de paciência, meu egoísmo, pela minha intolerância, pela minha incapacidade de lidar com as nossas diferenças de temperamento.


Hoje, mãe, me arrependo dos beijos todos que não lhe dei, dos abraços todos que ficaram guardados em tolas gavetas.
Porém, sinto orgulho de um presente que lhe dei e que lhe encheu a vida de luz, cinco anos após a morte de meu pai: o seu neto Gabriel.


Hoje é o Dia das Mães, mas é apenas mais um dia dentro da imensa saudade que habita em meu peito.


Sempre que sinto o cheiro de uma flor, sinto a sua presença bem ao meu lado

7 comentários:

carolmulek disse...

Nem posso imaginar o que é não ter a mãe assim, pertinho, ao alcance dos braços. Mas acho que mãe é mãe pra sempre, onde quer que estejam elas ou onde que nós estejamos.

Parabéns à você, Le, pelo dia das mães e a sua mamãe, onde quer que ela esteja.

Beijocas

Jose disse...

Beijo grande, minha amiga.

Leticia Gabian disse...

Minha linda filhota de olho azul, beije e abrace muito a tua mãe, sempre! Diga-lhe que um desses beijos é de mim pra ela.

Beijão pra você que, além de linda filha, sabe ser amorosa e sabe dar valor à mamãe que tem.

Beijos beijos beijos!

Leticia Gabian disse...

Obrigada, José!
Um grande abraço pra ti!

Nadja Barros disse...

Lelete, estivemos reunidos na missa em celebração À VIDA de D. Ivani. Estavam familiares e amigos e, certamente, estava você também em saudade, espírito e pensamentos.

E, se é que isso possa ser dito, foi de fato uma celebração muito bonita, cheia de muito carinho e emoção. Tive a certeza de que ela também estava lá... e aí também! :)

Um grande beijo da familia tro-lo-lo!

Leticia Gabian disse...

Nadja,
Este Google é bem maluquete! Eu estava certa de que já tinha te respondido. Como é que some um comentário, minha gente?
Enfim...
Pois eu sei que a missa foi emocionante e muito bonita. Já sabia que ia ser assim. Não podia ser de outra forma.
Grandes beijos pra todos vocês.
Saudade!

Anônimo disse...

A luz que dá o teu rosto
É a luz da madrugada,
Mas vi-a quase ao sol posto
De uma vida amargurada…
Tão tarde vi o teu rosto!

Oh! Se na manhã da vida
Me raia logo essa aurora,
Quando folha e flor caída
me embelezara inda agora
O triste arbusto da vida!

Mas andei sempre às escuras…
Por onde nem se lobriga
Luz de estrelas nas alturas,
Quanto mais em face amiga…
Eu andei sempre às escuras!

E agora vendo a beleza
Dessa luz que me alumia,
Não sei se minha tristeza
É mais do que a minha alegria…
Vendo agora essa beleza!



João de Deus (Poeta português, 1830-1896)