terça-feira, agosto 26, 2008

Amor de Bailarina



Eles eram colegas de escola, desde o jardim de infância.
Cresceram juntos, moravam na mesma rua.
Apesar de tanta proximidade, eram invisíveis (um para o outro) até que os hormônios bateram às suas portas.
Despertaram (um para o outro) como quem emerge de um longo período de amnésia.
Descobriram-se.
Por ela, ele esquecia até das famosas partidas de futebol com os amigos.
Por ele, ela até faltava a algumas aulas do tão adorado balé, iniciado desde a mais tenra idade.
Mas, a vida tratou de separá-los. A família dele mudou-se para outro Estado.

Após um curto período de choros e promessas e juras, cada um rendeu-se aos apelos externos. Namoraram outros amores. Casaram com outras paixões.

Ele, sempre muito estudioso, formou-se com louvor e seguiu a carreira de Direito.
Vivia pela sua profissão e a abraçava como se fosse a mulher amada (talvez por não ter esquecido completamente aquela colega-vizinha, por quem sentiu bater o seu coraçãozinho pela primeira vez).

Ela, sensível às artes em geral e possuindo mesmo alma de artista, entregou-se ao balé clássico (uma entrega total, de alma e corpo, talvez por não ter esquecido aquele colega-vizinho, por quem sentiu bater o seu coraçãozinho pela primeira vez).

E o destino, em uma das suas divertidas manobras, resolve reunir os dois em um mesmo local, na mesma hora e minuto e segundo: a floricultura.
Ela ia comprar orquídeas para levar ao aniversário da irmã do seu ex-marido.
Ele ia comprar rosas brancas para levar ao aniversário da ex-sogra.
Reconheceram-se imediatamente apesar de já não serem mais os colegas-vizinhos daqueles anos 70. O tempo foi camarada e pouco ou quase nada alterou os traços em ambos os rostos.
Conversaram animadamente, como se tivessem separados há apenas uns meses. Trocaram telefones e breves informações esclarecedoras a respeito do viver da cada um. Iam retomar o contato... Após o breve encontro, esta era a frase que cada um repetiu mentalmente.

Retomaram o contato. Como amigos, iam a jantares, a festinhas, a cinemas e peças de teatro.
Ele comparecia a todas as apresentações do balé dela.
Ela estava presente em todas as partidas de futebol do time dele.
Tudo fluía leve entre os dois. Sentiam-se felizes como nunca.
De vez em quando, havia alguns olhares lânguidos, desejosos, insinuantes, mas nada passava desse ponto....era como se um ficasse à espera que o outro tomasse a iniciativa. Iam namorar.... Após cada encontro, esta era a frase que cada um repetia mentalmente.

Iniciaram a fase de namoro. Beijos apaixonados e intermináveis. Abraços tórridos e intensos...Tudo caminhava para o encontro maior entre os dois.
Marcaram a noite e se prepararam com esmero.
Primeiro, um jantar leve e impregnado de uma expectativa imensa. Depois, o caminho até a casa dela (que pareceu ser mais demorado do que nunca). E, finalmente, a chegada aonde aconteceria a entrega total entre os dois.

Sim, sei que pode parecer último capítulo de novela ou o ápice daqueles contos das edições de bolso das bancas de revista, mas...

Já na cama, ele foi despindo peça por peça até que ela ficasse completamente nua em sua frente. Era um momento mágico. Parecia que nada mais existia no mundo, além daquele quarto. Ele passeou os dedos em cada centímetro do corpo dela, ao tempo em que pensava nunca ter visto antes criatura mais perfeita e bela... Até parar nos pés da bailarina.
Desconcertou-se e sentiu que lhe faltava o ar. De um salto, levantou da cama, foi até a janela e respirou fundo... O mundo voltou a existir e acabou por cair em cheio em sua cabeça.

Vestiu-se, sem dizer palavra. Saiu do quarto, da casa e da vida da bailarina.
Ela ficou... Congelada nas sensações e emoções.





29 comentários:

Maria disse...

Confesso que o final me surpreendeu...
Como é que... pode?
Porque é que os homens, de uma forma geral, não se entregam, têm medo de amar?
O que viu ele de errado (ou certo, demasiado certo) no pé da bailarina que ali era (seria) a mulher que ele queria?
Porque é que é tão difícil arrancar a palavra "amo-te" da boca de um homem?

Gostei desta estória, Letícia. Fico à espera de mais...

Beijão, Amiga-irmã

Leticia Gabian disse...

Maroca,
A inspiração para escrever veio da frase da Clarice Lispector (a que postei no De Palavra).

Fico curiosa quanto às diversas leituras que possam surgir a partir do meu texto. Terei pouco retorno, já sei. Mas, espero que sirva para fazer pensar um pouco aos poucos que por aqui passarem. Pelo menos, isto.

Beijão, miga-irmã!

MisteriosaLua disse...

Letícia, beijocas!

Além de uma bela história, uma proposta para decifrar um enigma... Adoro isso! Vou pensar numa resposta, e volto, ok?

Leticia Gabian disse...

Olá, querida e Misteriosa Lua!
Aguardo o seu comentário. Volta, sim!

Beijocas!

zmsantos disse...

Bem, o que eu penso é que o rapaz ao ver os pés da bailarina descobriu a dualidade existente na rapariga.
Os seus pés, vivos na dança, e pela sua exigência, faziam parte de outra entidade, ainda mais perfeita, talvez, do que a parte-moça.
O rapaz, adivinhando o eterno conflito entre bailarina e moça
não aceitou esta união ímpar de 3 que punha em causa o amor perfeito de uma vida...

(Xi, confuso, não?)

Beijinho e manda mais!

Leticia Gabian disse...

Amigo Zé Manel,
Muito interessante!
Engraçado como é variada a forma de leitura, como cada um lê partindo da própria bagagem de vida.

Que bom que comentou!!!!
Abração

Carol disse...

Hummm,

Lendo essa estória deliciosa ... mesmo sendo um amor tão acarinhado, tão ternamente mantido no baú das memórias de cada um e que a vida encarregou-se de reavivar ...

O motivo:
Pegando no comentário da Maria, muitos homens têm medo de amar, de se entregar.

Muitos idealizam a mulher perfeita em todos os pormenores e detalhes ... e o mínimo resvale, mínimo sinal de imperfeição pode mitigar ou apagar qualquer sentimento.

Pelo facto de ser bailarina, terá seguramente desenvolvido pés de bailarina, com mal formações nos dedos, talvez resultado de lesões pela força que exercem sobre os pés ...

Teria ele algum fétiche e adoração especial por pés e perante tal imagem assutou-se? ;)

Leticia Gabian disse...

Querida Carol,
Que bom que deixou aqui o teu comentário, tão interessante quanto o da Maroca e o do Zé Manel!

São tantas as interpretações, não é?

Beijo grande

O Profeta disse...

Fecham-se as janelas de poente
Acenderam-se os luzeiros no céu
A cidade desperta para o arraial
Uma noiva procura o perdido véu

Os acordes da Banda no Coreto
Uma tuba marca o compasso
O clarinete dança na calmaria
O Maestro solta gestos no espaço


Bom fim de semana


Mágico beijo

O Sibarita disse...

Minha Cumadi que belo texto!

Inspiradissimo! Parabéns!

O cara bateu fofo e sabe-se lá por que?

Ai jesus essa cumadi quer me fazer pensar muito, mas, tenho o miolo miúdo... kkkkkk

Oi para mim ele ficou foi com medo, tá rebocado, piripicado! kkk

Aqueles pezinhos suaves... Eu heim dolores? kkkkkk

A Maria oi o homem diz sim amo-te o problema é que engasga na garganta o grito! kkkkkkkk

bjs
O Sibarita

Leticia Gabian disse...

O Profeta e a sua bela escrita!

Leticia Gabian disse...

Cumpadi,
No dia em que o Siba tiver miolo miúdo, a vaca vai voar!
Mas, tem é graça esse cumpadi!


Abração!

Vera Lucia disse...

Oi Letícia, pela terceira vez estou tentando escrever e pelo visto estou fora de forma, rsrs. Antes de mais nada quero felicitá-la, não so você como o poeta das fotos seu Zé, pela união linda dos dois, quando vi as fotos fiquei vibrando, pois mesmo caladinha a torcida era muito grande. A respeito da bailarina, não deu certo porque simplesmente o amor que ele pensava que existia era ilusão, pois o verdadeiro amor não foge. Tanto tempo perdido ou será que não? Rsrs.Espero que sabas que está te escrevendo, e não se importe com a demora des outras palavras. Ps: Não sei se você já foi no blog do profeta, vale a pena.Beijos carinhosos no seu coração. Vera Lucia

Leticia Gabian disse...

Oi, Vera!!!!!!
Claro que sei quem é!!!!!!!!!
Bom te ter por aqui!

Obrigada pela torcida, querida! Quanto mais gente querendo o bem, melhor, não é?

É... Os sentimentos que envolvem o coração "têm razões que a própria razão desconhece"... Há várias formas de amar, há várias formas de fugir de amar... O negócio é entender.....!

Mas, cadê o teu blog, mulher?! Ainda estou na espera!

Beijo grande pra você e apareça mais!

Vera Lucia disse...

Não acredito que ainda espera o meu blog, adorei saber que me reconheceu depois de tanto tempo. Acompanhei passo a passo toda a sua maratona, torcendo para que tudo desse certo como acabou dando,estou adorando. A vida tem muitas surpresas, as vezes temos uma afeição por determinadas pessoas que nem conhecemos pessoalmente enquanto que aquelas em que estão proximas nos é tão indiferente,rsrs. Gosto de você, e nada é preciso explicar, mas não espere pelo blog, vai cansar, rsrs. BEIJOS NO SEU CORAÇÃO APAIXONADO.

Vera Lucia disse...

No primeiro comentário, houve alguns erros de gramática, desculpe pois estava jogando, e toda hora caía a conexão, rsrs. Está vendo o que dá ficar sem contato, a emoção falou mais alto.Boa Noite e sonhe com os anjos, anjos e o Zé, claro.

Leticia Gabian disse...

Vera,
É mesmo verdade que a gente elege algumas pessoas como muito queridas, mesmo sem que as conheçamos de perto. Com nós duas é assim, não é? E é muito melhor gostar que sentir rancor, mágoa, guardar ressentimentos... Sou de explodir, se pisam no meu calo, mas não guardo nada de ruim depois.

Olha, aqui tenho cadeiras, camas, sofás e etc...Portanto, estou preparada para esperar pelo seu blog o tanto que for preciso, viu?
Hehehe!!!!!

Foi mesmo emocionante receber a sua visita.
Que aconteça tudo de melhor em sua vida, querida! Desejo isso de coração!

Beijo grande e não suma!!!!!!

O Sibarita disse...

Minha Cumadi a Senhora já está em Portugal?

Oi não precisava agradecer por eu ter ido ao blog da Dulce Leal, se é blog baiano temos que dar uma força, espero que o blog dela vá para frente fiz até um novo comentário sobre isso.

bjs
O Sibarita

Leticia Gabian disse...

Não, cumpadi!
Então eu ia sem um "bota-fora"?

Não ia sem me despedir do cumpadi, de jeito nenhum!

Ôxente!!!!!!

A CONCORRÊNCIA disse...

Algumas vezes o sonho pode ser bem melhor que a realidade, imaginar o que pode acontecer, como vai acontecer, o que irá acontecer, de tal maneira que há quem prefira continuar apenas a imaginar. Talvez tenha sido o que aconteceu aqui. Muitos anos a imaginar perfeição e medo da realidade não corresponder ao sonho.
Beijos

Leticia Gabian disse...

É.... Tem mesmo gente que prefere sonhar a viver a realidade.

Há o medo de amar, de perder a pessoa amada, de não corresponder às expectativas desta pessoa... Há o não saber amar tudo que não compreendemos no outro, tudo que é diferente, tudo que foge ao pré-estabelecido... Há o medo da opinião dos outros, do julgamento dos outros... Enfim....

...Mais vale o "perigo" da realidade do que a improbabilidade do sonho.

Beijo grande

ARTEMINORCA disse...

Querida Leticia!
O dilema é enorme entre o que queremos e o que devemos ou o que nos é possível desejar. Por ironia do destino a arte (o pé da bailarina) representa aqui, na minha modesta opinião, a fuga à paixão e a entrega ao possível... As grandes paixões só admitem o impossível!!!
Beijinho grande! Lu

ARTEMINORCA disse...

Só agora dei conta do enlace... Desejo muitas e muitas felicidades para os dois, é um casal lindooooooo!!! Beijinhos, Lu

Leticia Gabian disse...

Querida Lu,
Verdade absoluta: As grandes paixões, os grandes amores, só admitem o impossível!!!!!

Obrigada pelo desejo de felicidades pra nós dois. Também só desejo o melhor em tua vida.

Beijo grande

MisteriosaLua disse...

Letícia, não me esqueci de voltar! Apenas desejei ter melhor perspeciva que a que tive, assim que li o seu texto. A verdade é que não consegui melhor do que o que pensei no imediato...
A meu ver, ele sempre quis o que não podia ter. Logo que pode ter, desistiu...
É a eterna história do fruto proibido!...

Besitos

Leticia Gabian disse...

Misteriosa Lua,
Gostei da sua leitura....Muitas vezes acontece, quando o desejo é demasiado grande que chega a ser maior que a realidade possível.

Beijão

Anônimo disse...

Olá Letícia...estava fazendo uma pesquisa de imagens de mandalas e por acaso acabei entrando no seu blog, ouvi seu som e que delícia de música!! vc canta muito bem!!! Parabéns!!

Suzane Gonçales

ariella disse...

Acho q td's vão achar estranho e até mentira mas sou bailarina e amo um q diz amar-me tbm.Mas no fim do ano os pais dele vão se mudar p/ outro estado estou mt triste e não sei oq fzr achei essa história mt haver com q estou passando pois meus pais não sabem então tbm falto minhas tão amadas aulas de ballet p/ ficar com ele...
Ain...
Não sei oq fzr... Mas ele tenta me consolar...

Osana Pereira disse...

Pé de Bailarina é feio. Por isso ele foi embora. kkkkkkkk Alguém já desvendou o enigma?