terça-feira, maio 18, 2010

Saudade não tem hora nem lugar e tem que ser chorada sempre



Choro sempre.
Choro por dentro.
Choro calado.
Choro de pé.
Choro sentado,
Dentro do trem,
Olhando a vida passar.
Mas é de madrugada
Que as lágrimas aparecem.
É de madrugada
Que choro sua partida,
A falta que você faz em minha vida.




Poema de neto   por Gabriel Pondé 



     

6 comentários:

Maria disse...

Poema que me deixou sem palavras e com um nó na garganta...

Beijão enorme, AIC+T

Liana Barros disse...

Já tinha visto no blog dele.
Que bom que pelo menos de madrugada ele verte essas lágrimas. Um beijo, saudades...
(estou a convencer meus pais a irem até aí em Setembro).

Leticia Gabian disse...

Maroca,
Então não sei?

Beijão, AICeT

Leticia Gabian disse...

Liana,

Ainda bem que acontece assim. Não faz bem a ninguém engolir o choro e aprisionar os sentimentos. Fico mais tranquila sabendo que ele consegue dar vazão às lágrimas reprimidas.

Dê mesmo força a eles. Vai ser bom pra nós todos.

Beijão

Carola disse...

Sou sua mais nova leitora e admiradora virtual :)
Te encontrei numa busca por mandalas novas, ideias novas para alguns trabalhos artesanais que faço.
Acabei me aprofundando em seu blog, muito legal o modo como compartilha seus momentos familiares, seus momentos de lazer e sua nova vida em Portugal.

Adoraria conhecer Portugal, minha sogra foi essa semana para Barcelona e depois irá para Portugal, quem sabe na próxima a gente não se encontra! rs

vou continuar te seguindo,
mta luz
e parabens pelo dom com as mandalas

Carola Palange

Leticia Gabian disse...

Carola,
Seja muito bem vinda!
Vou conhecer os seus trabalhos. É tão bom conhecer gente que faz coisas legais, não é? Inspiramos alguns e somos inspirados por outros...Há uma troca de energia bacana...!
Quando vier a Portugal a gente se encontra, sim. Tenha fé!
Abração apertado