segunda-feira, julho 24, 2006

Coisas da noite (I)

Quem canta e/ou toca na noite sabe e, certamente, já vivenciou situações muito enervantes, que são um teste pra sua paciência e pra sua capacidade de abstração. Uma delas é quando juntam várias mesas, o mais próximo possível de quem está se apresentando, formando um trem apinhado de gente pouco educada e barulhenta. Já viu, né? Pior fica, quando é aniversário de alguém. Aí é de lascar!

E numa dessas noites, como se já não bastasse tudo que já falei, ainda surge uma personagem que, etilicamente motivada, puxa sua cadeira para o mais junto possível de mim e encasqueta de cantar junto comigo. “cantar” e “junto comigo” é bondade da minha parte. A criatura mais parecia uma gralha parindo um ovo de ema. Nos primeiros cinco minutos tive que me conter para não desatar numa gargalhada, daquelas que eu costumo soltar. Depois, havia momentos em que eu sequer conseguia escutar com meu ouvido interno, de tão alto que ela berrava e desafinava. Aí, entrei em pânico porque parecia que ela e eu éramos uma só voz !!!

Resolvi pesquisar o repertório da danada. Cantei Caetano, e ela “junto”. Gilberto Gil, e ela “colada”. Chico Buarque, e ela “firme”. Até Tom Jobim, ela dilacerava. Fiquei num beco sem saída. Apelei pra todos os Santos. Fiz promessa. Xinguei a mim mesma por nunca ter lido um livro de auto-ajuda. Pensei estar chegando ao meu limite, mas, enfim, sobrevivi ao primeiro bloco.

Exausta e quase sem energia, anunciei o intervalo. Bebi dois copos de água natural, respirei fundo e tive uma conversa com meu anjo da guarda protetor. Retornando do intervalo, tive uma grata surpresa: o benefício da ausência do “encosto musical”, que se acertou com o namorado e partiu. Daí pude, em paz e renovada, dar continuidade ao trabalho.

É... a noite testa a gente de todas as formas, principalmente no que diz respeito ao nosso canal direto com as forças acima de nós. E ainda há quem não acredite.

7 comentários:

travessias disse...

A segunta parte, livre do "estorvanço" deve ter sido bem melhor.
As rosas, lindas, também têm espinhos.

greentea disse...

quem não acredita aqui tem a pprova!!!

Espero que o próximo serão seja bem mais descansado...
que pena não poder ouvir-te daqui.


beijos

Leticia Gabian disse...

Olá.
Certamente o segundo bloco foi tranquilo e agradável, como sempre tem sido, e deve ser.
Como diz a máxima:"são ossos do ofício"
Em breve estarei disponibilizando as cinco músicas recém gravadas no CD demo.
Abraços para os dois. Voltem sempre.

Allan disse...

O engraçado é que, lendo posts pretéritos, pensei ter sido a "canja indigesta" a sua pior experiência... Mas essa gralha parindo um ovo de ema sic, de fato, pareceu beem pior. rs
Grande abraço

Leticia Gabian disse...

Allan,
Para viver bem, é preciso saber rir dos próprios infortúnios. No mundo da música tenho tido mais experiências boas que más.Fica mais fácil transformar o desagradável em engraçado. As lembranças acabam ficando mais leves. E a vida, no geral, também.
Abração

pitanga disse...

É Letícia são os famosos "chatos" da noite mas pense bem na sua sorte que se livrou dela. Já o namorado, coitado. Já pensou se ela resolve cantar na cama???
beijos e obrigada pelas visitas.
PS a fase deprê passou, agora é só descontração, que já estava me fazendo rugas.
Pitanga

Leticia Gabian disse...

Pitanga,
Nada como uma fase deprê pra gente se levantar outra, cheia de gas.
Beijos